quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

En Chincheros...

Foto: Solange Mezabarba - Mulher em Chivay

Chincheros é uma cidadezinha peruana que fica nos arredores de Cuzco, e que vive basicamente das hábeis mãos de mulheres tecelãs.

Estive em Chincheros há dois anos. Foi uma visita rápida, depois de muito insistir com o nosso guia, pois não me contive de curiosidade.

Já nos séculos XVI e XVII os viajantes relatavam sobre os tecidos da região andina, com seus desenhos coloridos. Mas a tradição dos tecidos e seus elementos iconográficos antecedem a civilização inca. Esta aparece, segundo historiadores, por volta do ano de 1200, e tem seu fim marcado pela eliminação do seu imperador Atahualpa em 1533. Outras etnias já existentes no continente antes do império inca sobrevivem com suas tradições. E os ícones que usam em sua arte têm relação direta com os simbolismos do seu povo.

Por não haver ainda corte e modelagem no período inca, eram os desenhos e os tecidos os marcadores da posição social ocupada por quem os envergava. Para além do povo inca, os tecidos desempenhavam um papel central nas sociedades andinas. Estavam presentes em ritos de passagem, cerimônias religiosas, nas mortalhas dos grandes líderes entre os diferentes povos que habitavam a região. Os tecidos eram também presenteados para selar um compromisso de casamento, serviam como pagamento de tributos e eram exibidos como troféus quando tomados de inimigos vencidos em uma guerra.

Viajando pelo Peru, nos deparamos em cada canto com uma etnia diferente em suas tendas a vender gorros, luvas, casacos, mantas, tapetes, e cada etnia com um grupo de desenhos simbolizando sua tradição iconográfica. É sempre espantoso observarmos a quantidade de peças expostas pelas vendedoras, e elas, sempre vestidas de acordo com a sua tradição.

Ao conhecer de perto as mulheres de Chincheros, percebemos que a tradição continua sendo passada às gerações, e que tudo é confeccionado com regras próprias. No próximo post quero mostrar como elas produzem os seus tecidos.